SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

EXECUÇÃO, ENGANO, BRUTALIDADE






ZERO HORA ONLINE 11/04/2014 | 01h44

PORTO ALEGRE - Homem é morto a tiros dentro de veículo na zona sul. Conforme a Polícia Civil, três indivíduos entraram em uma lavagem de carros e atiraram



Um homem foi morto a tiros no fim da tarde desta quinta-feira, na zona sul de Porto Alegre. O crime ocorreu pouco antes das 19h, na Avenida Otto Niemeyer, próximo à esquina com a Avenida Vicente Monteggia, bairro Cavalhada.

De acordo com a 4ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (4ª DPHPP), três homens entraram em uma lavagem de automóveis e fizeram os disparos em direção a um veículo i30 prata — além de um dos ocupantes morrer, outro ficou ferido, mas passa bem. A equipe da 4ª DPHPP acredita que a vítima estava sendo procurada pelos assassinos.

No início da madrugada desta sexta-feira, testemunhas eram ouvidas na delegacia. Para auxiliar na investigação, a Polícia Civil conta com imagens de câmeras de segurança. Os autores do crime fugiram em um carro. A identidade da vítima não foi divulgada.


ZERO HORA 11 de abril de 2014 | N° 17760

TAQUARA, VALE DO PARANHANA - Três pessoas assassinadas



O assassinato de três pessoas ontem em Taquara, no Vale do Paranhana, ainda é um mistério para a Polícia Civil, que investiga as hipóteses de latrocínio e execução. Dois homens e uma mulher foram baleados em um sítio no interior do município.

Carlos Rodolfo Braga, 29 anos, e Paulo Vieira da Rosa, que não teve a idade informada pela polícia, foram encontrados mortos pela Brigada Militar (BM) na manhã de ontem em uma propriedade rural na localidade de Santa Bárbara.

A companheira de Braga, Denísia Becker, 33 anos, que também foi ferida a tiros, foi socorrida e encaminhada ao Hospital Pronto Socorro de Canoas. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu pouco tempo depois. As três vítimas foram feridas por tiros na cabeça e nas costas.

Outras duas pessoas também estavam no sítio no momento do crime, mas conseguiram fugir e chamar a polícia. Elas foram identificadas depois como a proprietária da área e um homem que seria neto dela.

Segundo a polícia, a casa onde as vítimas foram encontradas fica em um local afastado, o que dificulta a procura por testemunhas. A residência está localizada a mais de 200 metros de distância da rodovia que dá acesso à área, e não há outras casas próximas ao local.

Segundo o inspetor da Polícia Civil Jorge Belmonte Júnior, ainda não é possível afirmar se o caso foi uma execução ou um latrocínio:

– No momento, não temos condição de dizer qual foi o crime. Estamos ouvindo os familiares e as pessoas que conseguiram fugir para montar esse quebra-cabeça.

De acordo com Belmonte, a polícia ainda não tem suspeitos. Uma espingarda – que estava sem munição – foi apreendida no sítio.

Os corpos das vítimas foram encaminhados para o Departamento Médico Legal (DML) de Taquara.


VIAMÃO - Homem é morto por engano

Um homem teria sido morto por engano na madrugada de ontem em Viamão. Adilson da Silva Gonçalves, 31 anos, foi executado a tiros em casa, no bairro Santa Cecília. Depois do crime, um parente da vítima se apresentou em uma delegacia de Porto Alegre e relatou à polícia ser o verdadeiro alvo dos assassinos. Ele é usuário de drogas e deve R$ 80 a traficantes, o que teria motivado o crime. Por causa da dívida, ele passou a noite fora de casa.


CRUZ ALTA - Crime brutal. Amigo da mãe, que teria surtado e esfaqueado menina, foi preso após o assassinato no noroeste gaúcho

MAURÍCIO ARAUJO | CRUZ ALTA/ESPECIAL

Gabriela Marques Ruckert, com apenas um ano e nove meses, foi brutalmente assassinada a facadas, na quarta-feira à noite, em Cruz Alta, no Noroeste. A mãe da menina, Laís Fogaça Marques, 26 anos, presenciou a cena e também foi agredida.

Jair Cezar de Souza Borba, 29 anos, amigo de Laís, teria surtado e golpeado o bebê quatro vezes no tórax. Ainda segundo o laudo médico que atestou a morte de Gabriela, ela sofreu esganadura e traumautismo craniano devido às pancadas dadas pelo homem.

Logo após praticar o crime, que aconteceu na casa onde moravam a vítima e a mãe, na vila Santa Terezinha, Borba tentou se matar, atirando-se em frente a um caminhão na ERS-342. Ele foi preso em flagrante e encaminhado ao Presídio Estadual de Cruz Alta, sem revelar o motivo de ter matado Gabriela.

O homem chegou a ser levado à Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento de Cruz Alta na mesma noite, mas, conforme o delegado João Gabriel Parmeggiani Pes, que investiga o caso, ele estava muito machucado para prestar esclarecimentos, além de estar tonto devido às medicações.

De acordo com a Brigada Militar, Borba seria usuário de drogas. O delegado confirma que ele tem passagem pela polícia por uso de entorpecentes. Na casa onde aconteceu o crime, a polícia encontrou um cachimbo para uso de crack. Porém, não há confirmação de que o homem seja dependente químico.

A mãe da criança afirma que ela e Borba se conhecem desde criança, e tiveram um breve relacionamento que durou algumas semanas e terminou há cerca de um mês.

Na noite de quarta-feira, Laís conta (leia entrevista) que eles conversaram rapidamente na casa dela. Instantes depois, Borba retornou ao local e levou Gabriela ao banheiro, agredindo-a e desferindo as facadas. A criança chegou a ser levada com vida pelos vizinhos ao Hospital São Vicente de Paulo, mas não resistiu aos ferimentos.

– Não entendo o porquê de ele ter feito isso. Simplesmente não tem explicação para um ato de tamanha crueldade – declarou Laís.

Osmar Marques, avô de Gabriela, estava inconformado com o drama da família e a perda repentina da neta.

– Como alguém faz isso com um inocente? É muita crueldade – afirmou, inconformado, o avô.

O enterro foi ontem, no cemitério Parque Jardim do Sossego.

Postar um comentário