SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

terça-feira, 29 de abril de 2014

EXECUTADO SUSPEITO DE AJUDAR A MATAR PUBLICITÁRIO


ZERO HORA 29 de abril de 2014 | N° 17778

CARLOS ISMAEL MOREIRA


CASO KUNZLER. Suspeito de ajudar no crime é morto

Polícia apontou Samuel Goulart Borba, 26 anos, como “olheiro” do bando



Um dos suspeitos de participar do assalto que resultou na morte do publicitário Lairson José Kunzler, 68 anos, foi morto domingo, em Porto Alegre. No velório de Samuel Goulart Borba, 26 anos, outro suposto envolvido no crime ocorrido no fim de fevereiro, na Zona Sul, foi detido pela polícia.

Borba foi executado no bairro Restinga. Responsável pela investigação da morte de Kunzler, a delegada Áurea Regina Hoppel confirmou que ele era investigado pelo crime e atuaria como “olheiro” do bando. Além de Borba, cinco homens foram apontados como supostos participantes do latrocínio (roubo com morte). Um deles chegou a ser preso, mas foi solto depois de apresentar álibi. Outros três estão com mandados de prisão preventiva a serem cumpridos.

O possível envolvimento de Borba no caso Kunzler e o fato de ele supostamente liderar uma quadrilha de “saidinhas de banco” serão avaliados pela polícia.

Outro suposto envolvido é detido durante velório

Uma queima de arquivo pela participação de Borba na morte do publicitário é considerada remota, mas não foi descartada pela investigação.

Suposto comparsa no assassinato de Kunzler, um homem de 30 anos foi detido pela polícia durante o velório de Borba. Ele cumpria pena no regime semiaberto por tráfico e estava com mandado de prisão temporária pelo latrocínio.

– Ele não confirmou o crime, mas nos deu informações importantes. Aguardamos perícias para concluir o inquérito – disse a delegada Áurea, que pedirá à Justiça a prisão preventiva do suspeito.

Kunzler foi baleado na cabeça em um assalto no dia 24 de fevereiro. Diretor da agência Paim Comunicação, ele chegava em casa em um Civic, em um condomínio na Avenida da Cavalhada, quando foi abordado por dois assaltantes em uma moto.

O carona da moto pulou em direção à janela do carro. Quando o publicitário acelerou o veículo, o ladrão disparou cinco tiros. Um deles acertou a cabeça de Kunzler. Um malote de R$ 44,2 mil, parte do valor da venda de uma fazenda, foi roubado.

Postar um comentário