SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sábado, 12 de abril de 2014

IDOSAS SÃO VÍTIMAS DE ASSALTO E SEQUESTRO

ZERO HORA 12/04/2014 | 09h23

Idosas são vítimas de assalto seguido de sequestro em Porto Alegre. Uma senhora de 69 anos foi feita refém depois do assalto à residência




Suspeitos presos foram apresentados no Palácio da PolíciaFoto: José Luís Costa / Agencia RBS

José Luís Costa



Três idosas foram vítimas de assalto seguido de sequestro entre a noite de sexta-feira e a madrugada de sábado na zona sul de Porto Alegre.

As vítimas, três irmãs de 69, 88 e 92 anos tiveram a residência, no bairro Ipanema, atacada por ladrões que roubaram aparelhos de TV e R$ 1 mil. Cerca de três horas depois, dois dos criminosos foram presos em flagrante. Para surpresa das vítimas, os envolvidos eram uma técnica em enfermagem que cuidava de uma das idosas e o namorada dela. Segundo a Polícia Civil, os dois confessaram o crime.

Por volta das 21h de sexta, dois homens invadiram a casa. Amordaçaram duas das vítimas com vestidos e amarraram pés e mãos com fios de telefone. As irmãs foram agredidas a socos. A terceira idosa, de 88 anos, escapou da violência física porque é acamada. Mesmo assim, os bandidos ameaçavam desligar o aparelho de oxigênio que ela usa. Além das irmãs estava na moradia a técnica em enfermagem Juliana Soares Cardoso, 38 anos, que cuidava da idosa acamada no período noturno, e também foi amarrada.

Os bandidos quebraram aparelhos de telefone e reviraram a casa em busca de dinheiro. Pegaram duas TVs e exigiram que a mulher de 69 anos e a técnica em enfermagem fossem com eles sacar dinheiro em bancos de contas das irmãs.

Do lado de fora da casa, um bandido esperava os comparsas em um carro. A técnica em enfermagem foi colocada ao lado do motorista e a idosa no banco traseiro, entre dois dos bandidos.

— Eles me ameaçam. Diziam que se falasse a senha errada, seríamos mortas e que eu seria jogada em um valão — lembrou a vítima, horas depois no Palácio da Polícia Civil.

A primeira tentativa de saque, em um caixa eletrônico da Avenida Princesa Isabel, falhou. Um dos bandidos desconfiou que algo poderia dar errado e desistiu. A idosa refém foi levada, já sem as amarras, a outro terminal dentro do Hospital Ernesto Dornelles, quase ao lado do Palácio da Polícia Civil, onde sacou foi obrigada a sacar valores. Dali, os bandidos rumaram para a Avenida Bento Gonçalves, onde a idosa foi libertada. Logo em seguida, a técnica em enfermagem foi solta na mesma avenida.

— Fiquei toda molhada no meio da rua. Ninguém parava para ajudar, nem para emprestar um telefone — lamentou a idosa.

Equipes da 1ª Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento já estavam em alerta e foram para a casa das vítimas. Lá, os agentes encontraram um cartão de plano de saúde deixado cair por um dos bandidos. A partir daí, policiais localizaram o vendedor Júlio Augusto Leivas, 28 anos, namorado de Juliana. Ele estava em um apartamento da Avenida João Pessoa.

— Ali mesmo, ele se mostrou arrependido e confessou tudo — afirmou o inspetor Alexandre Gonzalez.

Quase ao mesmo tempo, a técnica em enfermagem, em casa na Avenida Bento Gonçalves, tinha ligado para a Brigada Militar, para contar o ocorrido como vítima da história, mas logo em seguida também foi presa.

Levados para a Área Judiciária do Palácio da Polícia Civil, Leivas e a namorada foram autuados em flagrante pela delegada Andréa Nicotti por extorsão qualificada, tortura, roubo e lesão corporal. A técnica em enfermagem trabalhava havia um ano cuidando da idosa e jamais levantou suspeitas. Os outros dois homens conseguiram fugir com dinheiro e os objetos roubados.


Postar um comentário