SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

terça-feira, 15 de abril de 2014

PERU VEM BUSCAR O FUTURO PROMETIDO PARA OS GAÚCHOS

O SUL Porto Alegre, Terça-feira, 15 de Abril de 2014.



WANDERLEY SOARES


PERU BUSCA KNOW HOW GAÚCHO. O futuro prometido para os presídios do RS é apresentado para o país amigo


O presidente do Conselho Nacional Penitenciário do Peru e chefe do INPE (Instituto Nacional Penitenciário), José Pérez Guadalupe, está no Rio Grande do Sul para conhecer o sistema de construção de presídios por módulos - que permite a execução das obras mais rapidamente e com menor custo que o método tradicional. Ontem, ele foi recebido pelo secretário da Segurança Pública, Airton Michels, e pelo superintendente dos Serviços Penitenciários, Gelson Treiesleben. Devido a esse sistema, o Estado tem anunciado a aceleração da construção de vários presídios novos e o encaminhamento do sonhado fim da superlotação do Presídio Central. O sucesso desse sistema no Estado está prometido para o final deste ano. Caso a meta não seja alcançada, tudo ficará para o próximo governo, seja o de Tarso, se reeleito, seja de quem vier a sucedê-lo. Em todo caso, abre-se a possibilidade de que, se projeto não se concretizar na data aprazada no RS, poderá dar certo no Peru


FBI para gaúchos


Aprimorar as técnicas para interrogatórios com instrutores do FBI é a finalidade do curso Entrevista e Interrogatório, que está acontecendo, desde ontem, na Academia Integrada da Segurança Pública, em Porto Alegre. A capacitação será realizada pela Secretaria da Segurança Pública, por meio do Departamento de Ensino e Treinamento, em parceria entre a Secretaria Nacional de Segurança Pública com a embaixada dos Estados Unidos. O curso será ministrado por três instrutores do FBI e contemplará 46 profissionais da Polícia Civil, Brigada Militar, do Departamento de Gestão do Conhecimento para a Prevenção e a Repreensão à Corrupção e agentes da Susepe. Na época da ditadura, policiais gaúchos receberam instruções sobre interrogatórios de agentes da CIA, mas os métodos do FBI devem ser bem mais avançados


Decisões do Piratini


Deu no Diário Oficial do Estado: - \o tenente-coronel João Suly Carpes Mazzucco foi colocado à disposição da Assembleia Legislativa; o comissário de polícia André Carlos Osório, os escrivães de polícia Alessandro Lorenzoni Simões, José Meneghini e Romulo de Almeida Junior, e os inspetores de polícia Carlos Alberto Machado, Juarez do Amaral Pinto, Leonardo Gomes e Tiago Sager, foram prorrogados à disposição da PGJ.
Postar um comentário