SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

TRÊS JOVENS SÃO EXECUTADOS EM PORTO ALEGRE


ZERO HORA 02 de abril de 2014 | N° 17751


AMIGOS ASSASSINADOS. 
Três jovens executados na zona sul da Capital


Familiares, amigos e vizinhos tentam descobrir os motivo da execução de três jovens no final da noite de segunda-feira, no bairro Teresópolis, zona sul da Capital. De acordo com o adjunto da 4ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (4ª DHPP), delegado Rodrigo Pohlmann Garcia, a única certeza, por enquanto, é de que o assassino tem muita habilidade no manejo da arma, uma pistola .40, de uso restrito.

– Essa arma tem 15 disparos. Ele (o matador) acertou 11, vários na cabeça, à noite, de cima de moto e sem tirar o capacete. É alguém com muita precisão – diz o delegado.

Henrique Schultz da Silva, 14 anos, Lucas de Deus da Silva, 17 anos, e Cassiano Gomes Ferraz, 28 anos, estavam na Rua Miriam Gress, por volta das 22h30min, quando foram baleados. Uma dupla em uma moto chegou, e o carona efetuou os disparos. Os três morreram no local. Outros dois jovens, de 17 e 18 anos, também foram atingidos, mas o Samu socorreu a dupla. Na manhã de ontem, eles tiveram alta do Hospital de Pronto Socorro (HPS). Há suspeita de que outras duas pessoas estavam com o grupo no momento do ataque e conseguiram escapar.


Jovens não tinham antecedentes policiais


Os jovens assassinados moravam perto do local da chacina, a menos de 50 metros uns dos outros. Amigos de infância, eles cresceram juntos e tinham como principal diversão as reuniões que faziam na rua. Ontem pela manhã, outros jovens ocupavam a esquina. Onde costumava se ouvir a conversa dos rapazes, restou apenas silêncio.

Conforme a polícia, apenas um dos jovens, que sobreviveu, tem antecedente por envolvimento com drogas.

– Entre os cinco, não há nada que possa apontar uma motivação para o crime – afirma o delegado.

De acordo com a polícia, a rua é tranquila e não há pontos de tráfico nas proximidades.

– Nossa hipótese é de que os criminosos estivessem atrás de alguém, mas isso também não está confirmado. Agora, vamos ouvir os sobreviventes e outras testemunhas para tentar descobrir se esse alguém está entre os mortos, se é algum dos que escaparam, ou, ainda, se os jovens foram mortos por engano – explica o delegado.



Postar um comentário