SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

terça-feira, 27 de maio de 2014

APÓS GOLPE, EMPRESÁRIA ATRAI, AMARRA SUSPEITO E CHAMA A BM

Do G1 RS 26/05/2014 12h49

Após golpe, empresária atrai e amarra suspeito em loja do RS; veja o vídeo. Caso aconteceu em uma loja de artigos tradicionalistas em Passo Fundo. Homem aplicou golpe na sexta (23) e voltou ao local no sábado (24).

Caetanno Freitas




A dona de uma loja de artigos tradicionalistas protagonizou uma cena inusitada no último sábado (26) em Passo Fundo, na Região Norte do Rio Grande do Sul. Ela amarrou com uma corda nas mãos e na cintura de um homem suspeito de estelionato. Ele havia aplicado um golpe de R$ 2 mil no estabelecimento no dia anterior e voltou ao local para uma nova tentativa. Sem sucesso, foi amarrado pela empresária e preso pela Brigada Militar.

O caso começou na sexta-feira (23), quando Maria Aparecida Paixão recebeu uma ligação de um homem que se fez passar por dono de um Centro de Tradições Gaúchas (CTG) de Passo Fundo. Por telefone, ele solicitou 10 pares de botas e disse que um funcionário dele buscaria a encomenda na loja, que fica na Rua Teixeira Soares.

“O 'pelego' chegou para buscar a encomenda e me disse que o patrão dele me pagaria à noite em um jantar. Mas eu conhecço o dono do CTG e no jantar estranhei que ele não veio pagar. Quando fui cobrar, ele me disse que não havia feito nenhuma encomenda. Foi aí que eu percebi que tinha caído em um golpe”, relata.


No sábado (24), Maria Aparecida retornou a ligação para o número do suspeito, mas ninguém atendeu. Ela já havia assimilado o prejuízo quando o homem retornou as ligações.

“Para a minha surpresa, ele fez uma nova encomenda. Só que eu fui mais esperta e disse que não estaria na loja, mas que ele poderia vir buscar com as funcionárias da loja. Então eu deixei tudo pronto, avisei a quadra inteira, avisei a polícia e ele chegou, umas 15h30”.

Nas imagens gravadas pela câmera de segurança da loja, é possível perceber o homem chegando ao local para buscar as botas. Dois clientes estão no estabelecimento, além de uma outra funcionária. Maria Aparecida sai de trás do balcão, vai até a entrada e tranca a porta. Ela volta, pega uma corda e amarra os braços do suspeito. “Ele foi muito burro. Essa é a verdade. Aí eu falei: ‘Não te mexe senão eu tiro tuas tripas fora'", conta.

Menos de um minuto depois, a Brigada Militar chega ao local e encontra o homem sentado e amarrado em uma cadeira. Ele é revistado pelo policial militar e retirado da loja. O suspeito foi encaminhado ao Presídio Regional de Passo Fundo. “Acabei não recuperando meu prejuízo, mas esse aí não engana mais ninguém”, completa a empresária.
Postar um comentário