SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quinta-feira, 22 de maio de 2014

SEGURANÇA NA COPA

O SUL Porto Alegre, Quinta-feira, 22 de Maio de 2014.


WANDERLEY SOARES


Quando a Fifa for embora, as cidades continuarão a existir


A carência de efetivo nos órgãos da segurança pública, no caso do RS, Brigada Militar e seu apêndice, o Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, IGP (Instituto-Geral de Perícias) e Susepe (Superintendência dos Serviços Penitenciários) provoca a estafa dos profissionais em atividade com a consequente queda da eficiência dos serviços. Mas a questão do efetivo é apenas um dos problemas que envolvem a segurança pública, que sofre ainda com prédios improvisados, comunicações incompletas ou inexistentes, processos de treinamentos apressados, desvio de funções, baixos salários, assistência médica e psicológica praticamente zerada e um amparo logístico sempre aquém das reais necessidades. De governo em governo, essas questões adquirem raízes mais profundas e a sensação de insegurança na sociedade assume um espectro assustador para o mais otimista dos cidadãos. No entanto, no entanto, sigam-me


Discurso copeiro


Policiais vindos do interior, suspensão de férias, apoio das Forças Armadas, viaturas a circular pela cidade, ao que tudo indica também durante a noite, nas cidades da Copa, entre as quais se inclui Porto Alegre, deverão contemplar as comunidades, ainda que de forma passageira, com tudo aquilo que deveria ser uma rotina com ou sem a festa da dona Fifa. Esse quadro está proporcionado discursos de governantes próprios de ilusionistas, como se depois do último ato no Maracanã tudo venha a ser diferente. É sabido que assim não será. Mas de qualquer forma, o período pós-Copa será da maior importância para que a sociedade assuma uma consciência mais sólida do que poderá ser o melhor para todos não apenas na eventualidade de uma festa. A seara deste humilde marquês é a segurança pública e, por isso, anoto pequenas coisas, como uma frase atribuída ao secretario Airton Michels, da pasta da segurança do RS: "Não faltará policial em nenhuma cidade durante a Copa do Mundo". Ocorre que depois da Copa as cidades continuarão a existir


Tornozeleira


O bandido Gerson Bom da Silva, que praticou assalto à farmácia Droganema, na avenida Juca Batista, e causou a morte do sargento Mário Francisco de Maria Rocha, crime ocorrido na segunda-feira última, estava em gozo do regime semiaberto e monitorado por tornozeleira eletrônica


Comandos


O Ministério Público denunciou 41 pessoas ligadas à quadrilha comandada de dentro do Presídio Central. O espantoso é o fato de que esses comandos fazem parte da rotina da violência e da criminalidade no País. O que dizer dos bandidos beneficiados com o semiaberto.
Postar um comentário