SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

NA REDE, SEQUESTRADOR LEVANTOU ROTINA DA VÍTIMA


ZERO HORA 05 de junho de 2014 | N° 17819


POLÍCIA CRIME EM SANTA CATARINA. Bandido buscou informações na internet para planejar sequestro. DEPOIS DE CONFESSAR, homem admitiu ter usado dados de rede social para identificar a rotina de um menino de nove anos levado da frente de casa no dia 29 de maio e libertado na terça-feira



Rresponsável por planejar o sequestro de um menino de nove anos em Ilhota (SC), Peterson da Silva Machado, 30 anos, disse ter encontrado em uma rede social as informações para a execução do crime.

– Comecei a descobrir pelo Facebook onde o filho estudava e o que o pai dele fazia e, então, decidi sequestrar o garoto – detalhou.

Angelo Antonio de Oliveira, filho dos empresários Laurinha Bailer de Oliveira, 39 anos, e Jean Carlos de Oliveira, 34 anos, ficou 112 horas em poder da quadrilha.

– Planejei tudo acompanhando ele (o menino) pelo Facebook. Lá tem tudo, até foto de dentro da casa da família. Levei uns 10 dias para planejar e fiquei três dias em Ilhota acompanhando a vida da família – acrescenta o sequestrador.

O menino foi levado da frente da casa da família, contou Machado:

– Falamos que era um jogo, que ele não precisava se assustar e que o pai sabia de tudo. Avisei que ficaria uma semana com a gente. No cativeiro, ele comia arroz e feijão, bebia, cantava rap e assistia a desenhos. Combinamos de não falar nada pesado a ele.

INVESTIGAÇÃO CONTOU COM MAIS DE 30 PESSOAS

Machado disse à Polícia Civil que foi também pela internet que concluiu que a família teria condições de pagar um resgate de R$ 500 mil. Os agentes chegaram a ele e à comparsa, Rosicleide Rodrigues, 32 anos, depois de analisar imagens de câmeras e informações sobre veículos, em investigação que envolveu mais de 30 policiais. Segundo o delegado Anselmo Cruz, da Divisão Antissequestro da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), Rosicleide ajudou a monitorar a rotina da vítima. Os dois tiveram ajuda de outro casal, morto em confronto com a polícia no dia em que o menino foi libertado.

Machado foi preso em Brusque, quando se preparava para comprar um carro. Foi ele quem informou o local do cativeiro e alertou que o casal que monitorava a criança estava armado. A dupla, que estava no primeiro andar de um sobrado, morreu em uma troca de tiros com a polícia. Ela foi identificada como Fernanda Marin Soares, 18 anos. Ele não havia sido identificado até as 18h de ontem. Angelo, trancado em um quarto no segundo andar do sobrado, foi libertado sem ferimentos.

– Foi uma situação inusitada. Quando entramos no quarto, ele estava bem assustado. A primeira coisa que falou foi: “quero ser policial”. Foi mais do que gratificante. Foi emocionante – descreveu o delegado.

O alívio para a família chegou logo depois do meio-dia de terça-feira, quando o celular do pai do menino tocou. O desespero da mãe terminava.

– Tinha horas em que me desesperava, vinha aqui (na área de festas da casa), andava para lá e para cá. Então me apegava a Deus e pensava: “Não pode ter gente tão maldosa para fazer alguma coisa com ele, um menino tão especial”.

Suposta cúmplice de Machado, Rosicleide foi localizada em outra casa no município de Barra Velha.

ILHOTA, SC
Postar um comentário