SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

segunda-feira, 30 de junho de 2014

TORTURADO ANTES DE SER MORTO

JORNAL EXTRA, 30/06/14 15:58

Coronel Malhães foi torturado antes de ser morto, diz delegado

De acordo com o delegado, Malhães foi torturado antes de ser morto Foto: Pedro Kirilos / O Globo


Bernardo Costa

O coronel Paulo Malhães, encontrado morto em seu sítio no bairro Marapicu, na zona rural de Nova Iguaçu, no final de abril, foi torturado antes de ser morto. A informação foi dada pelo delegado Pedro Medina, da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), durante entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira. Nesta manhã, foram presos os dois últimos foragidos envolvidos no crime: Alex Sandro de Lima e Maycon José Candido. Para a polícia, o caso está encerrado e tratou-se de latrocínio simples.

- Ele (Malhães) foi agredido com socos e coronhadas durante a ação dos bandidos, sendo o tempo todo ameaçado de morte. Ele acabou morrendo após um ataque cardíaco depois de um dos criminosos ter tentado sufocá-lo com um travesseiro - explicou o delegado.

De acordo com Medina, Alex Sandro de Lima e Maycon José Candido garantiram a fuga dos irmãos Rodrigo e Anderson Pires do sítio, com mais de 20 armas levadas do local. O carro utilizado na fuga também foi apreendido por agentes DHBF. Para Medina, os criminosos agiram de forma amadora.

O crime

O coronel Paulo Malhães foi encontrado morto no sítio no bairro Marapicu, na zona rural de Nova Iguaçu, onde morava com a mulher, na manhã do dia 25 de abril deste ano. Segundo investigações, três homens invadiram a propriedade do militar - que confessou, em depoimento à Comissão Nacional da Verdade, ter participado de torturas, mortes e desaparecimentos de presos políticos - entre eles, o ex-deputado Rubens Paiva.

Três suspeitos do crime já tinham sido presos. São eles Rogério Pires Teles, caseiro do sítio, e seus irmãos Rodrigo Pires e Anderson Pires Teles. Rogério teria facilitado a entrada dos outros dois na propriedade.

Durante as oito horas em que permaneceram no sítio, os irmãos Anderson e Rodrigo Pires roubaram mais de 20 armas de fogo, como pistolas, carabinas, um fuzil, uma sub-metralhadora e rifles, além de munições de diversos calibres, joias, um faqueiro de bronze, aparelho celular, computadores, bebidas, impressoras e cerca de R$ 700 em dinheiro.

Postar um comentário