SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

domingo, 13 de julho de 2014

BANDIDO MORTO EM TIROTEIO TINHA EXPLOSIVO EM CASA

DIÁRIO GAÚCHO 09/06/2014 | 14h19

Polícia encontra explosivo na casa de assaltante morto em tiroteio. Artefato estava na residência de André Rodrigues Pereira, em Cachoeirinha. Ele é um dos três mortos após troca de tiros com a polícia na ERS-400, quando a quadrilha tentou roubar um carro-forte



Artefato explosivo deveria ser usado para outros ataques da quadrilhaFoto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Vanessa Kannenberg


Agentes da Delegacia de Roubos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) encontraram, nesta segunda-feira, em Cachoeirinha, um artefato explosivo na casa de um dos três assaltantes mortos durante confronto com policiais na ERS-400. O tiroteio ocorreu no limite entre Candelária e Passa Sete, no Vale do Rio Pardo, na última sexta.

Como o artefato, aparentemente, possui cordel e há risco de explosão, o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi acionado e deve explodir o material em frente à casa.

Informações levaram a polícia à residência, como possível armazenamento de explosivos para ataques a carro-forte. De acordo com o delegado Joel Wagner, o explosivo estava na residência de André Rodrigues Pereira. Ninguém estava no local no momento da revista, portanto, não há presos e, inclusive, alguns móveis já foram retirados da casa, que está abandonada.

— O artefato é muito semelhante aos três que foram encontrados no porta-malas do Cruze, que seriam usados para chegar ao cofre do carro-forte na sexta-feira — conta Wagner, acrescentando que as investigações continuam, na tentativa de identificar outros criminosos.

Além de Pereira, foram mortos no confronto Carlos Ivan Fisher, o Teco, considerado o líder da quadrilha, e Márcio Pereira de Souza, conhecido como Chapolin, um criminoso conhecido há anos por grandes assaltos.

O quarto e último integrante da quadrilha que participou do ataque na última sexta-feira é Fernando Pereira Silva. Ele foi baleado, mas conseguiu fugir e acabou sendo detido pouco depois pela polícia, no pátio de uma casa. Silva foi encaminhado ao hospital, mas foi liberado no mesmo dia e preso em flagrante. Interrogado pela polícia, o suspeito usou de direito de permanecer em silêncio e deve se manifestar só em juízo.

Postar um comentário