SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

EMPRESÁRIA É ASSASSINADA A TIROS EM FRENTE À RESIDÊNCIA

DIÁRIO GAÚCHO 02/07/2014 | 10h27

Empresária é assassinada a tiros em frente à residência em Lajeado. Uma das hipóteses da polícia é de latrocínio, já que a bolsa de Nadir Tereza Rodrigues Kuhn, 44 anos, foi levada quando ela ia para o trabalho



Mulher foi alvejada próximo do carro, quando supostamente iria para o trabalhoFoto: Arquivo pessoal / 


Vanessa Kannenberg


Uma mulher de 44 anos foi morta a tiros na manhã desta quarta-feira em frente ao prédio onde morava, em Lajeado, no Vale do Taquari. De acordo com a Polícia Civil, Nadir Tereza Rodrigues Kuhn, 44 anos, saía para o trabalho quando, por volta das 6h, teria sido alvejada e acabou morrendo no local.

Informações preliminares levantadas pelos investigadores indicam que a empresária, que era casada e tinha um filho de 12 anos, chegava perto do próprio carro, um Meriva prata, quando teria sido rendida e atingida no rosto por um ou dois disparos de arma de fogo. A perícia ainda vai apontar quantos tiros foram disparados.

Como a bolsa de Nadir foi levada, uma das hipóteses investigadas pela polícia é de latrocínio (roubo com morte). No entanto, o delegado Silvio Huppes prefere não descartar nenhuma suspeita:

— Ainda é muito cedo e vamos tentar ouvir testemunhas e familiares para apurar melhor o caso — resume Huppes.

Localizada no bairro Moinhos, considerado um local "calmo" pela polícia, a área foi isolada e o Instituto-geral de Perícias (IGP) de Porto Alegre acionado para apurar as circunstâncias do crime. Imagens de câmeras de vigilância de casas e prédios próximos devem ser requisitadas pelos investigadores.

Postar um comentário