SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sexta-feira, 25 de julho de 2014

RELAÇÃO ENTRE BLACK BLOCS PAULISTAS E CARIOCAS



Polícia do Rio investiga relação entre 'black blocs' paulistas e cariocas


MARCO ANTÔNIO MARTINS
DO RIO
FOLHA.COM 25/07/2014 11h15



A Polícia Civil do Rio aponta que houve intercâmbio entre manifestantes do Rio e de São Paulo para articular protestos durante a Copa do Mundo.

A informação consta no inquérito da polícia, ao qual aFolha teve acesso, que investiga a participação de ativistas em protestos violentos no Rio. Ao todo, 23 ativistas são acusados de associação para a prática de vários crimes durante os protestos.

Para a final do Mundial, no dia 13 de julho, já estava acertada a ida de simpatizantes da tática "black bloc" de São Paulo para o Rio. Os ativistas paulistas ficariam hospedados em uma casa em São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

A ideia não foi colocada em prática porque na véspera da final policiais da DRCI (Delegacia de Repressão a Crimes de Informática) deflagraram a operação que prendeu os ativistas cariocas.

Com autorização da Justiça, a polícia interceptou ligações telefônicas e flagrou Camila Jourdan conversando com outra manifestante –identificada apenas como Priscila- no qual confirmava a ida de paulistas ao Rio.

De acordo com as conversas, um "black bloc" de São Paulo chamado apenas de "Mais Velho" chega a ir ao Rio, durante a Copa, para conversar com os ativistas cariocas. Segundo a polícia, eles acertam os detalhes de como seria a manifestação na final da Copa.

A ideia, segundo a Folha apurou, era repetir o protesto ocorrido no dia da abertura do Mundial, 12 de junho, em São Paulo. Na ocasião, policiais envolvidos na segurança do evento descobriram que "black blocs" de São Paulo e do Rio se uniram na capital paulista.

O resultado foi a depredação de agências de carros e destruição de telefones públicos. Houve ainda o confronto com os policiais militares de São Paulo. Duas jornalistas da rede CNN ficaram feridas na ocasião.

O que chamou a atenção dos investigadores da polícia do Rio foi que as interceptações telefônicas chegam a falar da transferência de dinheiro de ativistas do Rio para os "black blocs" paulistas. A verba seria para custear a passagem dos ativistas e alimentação até a hora do protesto.

Nos grampos telefônicos não há indícios ou declarações sobre o valor transferido. A polícia investiga a quantia enviada para os ativistas de São Paulo para apoiarem o protesto no Rio.
Postar um comentário