SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

AGRICULTORA SOB MIRA DE ARMAS

DIÁRIO GAÚCHO 13/08/2014 | 21h07

Marilice Daronco

Agricultora ficou cerca de 20 minutos sob a mira de armas. Assalto aconteceu em Arroio Lobato, localidade de Arroio Grande



Vítima mostra como foi mantida amarrada pelos bandidosFoto: Jean Pimentel / Agencia RBS



Uma agricultora de 55 anos foi vítima de um assalto na manhã desta quarta-feira na localidade de Arroio Lobato, em Arroio Grande, distrito de Santa Maria.

A vítima, que mora sozinha, havia saído no pátio para limpar uma cuia que tinha ficado suja na noite anterior. Logo depois de entrar na casa, que ficou com a porta destrancada, e de sentar para tomar chimarrão, por volta das 6h50min, o local foi invadido por quatro bandidos armados e usando toucas ninjas.

— Eles passaram a noite inteira em uma casa de madeira aqui perto. Arrombaram a porta, deitaram em um colchão e rasgaram um lençol. Foi com as tiras desse lençol que me amarraram — conta a agricultora.

A vítima disse ter ficado apavorada quando viu que tantos bandidos estavam entrando em sua casa, mas que tentou manter a tranquilidade e deixar claro que não reagiria, para que os ladrões deixassem logo a sua residência.

— Eles chegaram pedindo dinheiro e armas. Eu disse que não tinha, e eles começaram a revirar tudo. Quando acharam um revólver no guarda-roupas, levei um tapa na cara e me chamaram de mentirosa — lembra a agricultora.

Segundo a moradora de Arroio Grande, um dos momentos de maior tensão foi quando, pouco antes de deixarem a casa, os bandidos mandaram que ela deitasse em um colchão.

— Passa tudo pela cabeça da gente nessa hora. Não tinha como saber o que eles iam fazer — lembra a agricultora.

Antes de sair da casa, os ladrões, que roubaram facas, facões, uma arma, uma motosserra, um cortador de grama e R$ 15, trancaram a porta para que a vítima não conseguisse pedir ajuda. Eles fugiram na Saveiro da vítima, que foi localizada, horas mais tarde, em Camobi.

Quando percebeu que os bandidos haviam ido embora, a vítima conseguiu desamarrar com a boca as tiras de lençol que prendiam os seus braços e pediu ajuda. O assalto durou cerca de 20 minutos.
Postar um comentário