SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

ONDA DE HOMICÍDIOS

DIÁRIO GAÚCHO 28/08/2014 | 07h02


Cristiane Bazilio


SAPUCAIA DO SUL.  Em 24 horas, entre domingo e segunda, quatro pessoas morreram de forma violenta. Na região, são 26 assassinatos neste ano



Rua Beira Campos, na Vila Vargas, em Sapucaia, onde dois homens morreram alvejados por um grupo armado na noite de segunda-feiraFoto: Cristiane Bazilio / Agência RBS



Horrorizados. É assim que moradores da Vila Vargas, em Sapucaia do Sul, dizem estar se sentindo com a onda de violência que se impôs na região. Não é para menos. Em 24 horas, entre domingo e segunda, quatro pessoas morreram de forma violenta: três executadas e uma vítima de latrocínio (roubo com morte). Nos dias que antecederam os assassinatos, outras duas tentativas haviam sido registradas pela polícia no bairro. Crimes que, segundo a população, têm crescido a passos largos e acontecido sob os olhos de uma vizinhança que vive amedrontada e calada diante do pavor. A 2ª DP, que atende à região, contabiliza 26 assassinatos no ano.

Um dos casos que mais chocou os moradores da Vila Vargas nos últimos dias aconteceu por volta das 20h de segunda, na Rua Beira Campos. Quatro homens armados e a pé se aproximaram de um grupo que estava reunido em frente a uma casa e dispararam pelo menos 30 tiros, deixando dois mortos. 

Conforme investigadores da 2ª DP de Sapucaia, o alvo era Jonathan Silva dos Santos, 22 anos, morto com 11 tiros nas costas. Um amigo dele também acabou morto no conflito: Luis Carlos Rodrigues Ferreira, 42 anos, pai de dois jovens que estavam no grupo alvejado _ um deles, inclusive, foi atingido, mas sobreviveu. Nenhuma das vítimas tinha antecedentes criminais. A polícia, no entanto, investiga a possibilidade de que este crime, assim como outros, esteja relacionado ao tráfico de drogas.

Clima de medo


No dia seguinte ao tiroteio, o cenário na Rua Beira Campos era de medo e desolação. Com os olhos marejados e visivelmente emocionada, uma senhora de 63 anos narrava o bangue-bangue que presenciou. 

- Foi a coisa mais triste e desesperadora que já vi na minha vida. Moro no bairro há 23 anos e nunca presenciei nada parecido. Era tiro que não acabava mais. Coisa que a gente só vê em filme. E aqueles corpos caídos no chão. Uma cena indescritível. Que horror, meu Deus, que horror... - lamentava. 

Por telefone, uma vizinha que pediu para não ser identificada relatou os momentos de pavor.

- Era um barulho alto, constante e parecia estar tão perto... Por questão de minutos, eu e meu marido não ficamos no meio do fogo, porque recém tínhamos chegado me casa. Tivemos que nos esconder para não tomar bala perdida. Estou em choque - contou. 

Segundo a polícia, duas pistolas, calibres .380 e 7.65, e dois revólveres calibre 38 foram utilizados na ação. As marcas de giz feitas no asfalto pela perícia indicavam os locais onde foram encontrados cartuchos usados no ataque. 

De dentro de casa, uma mulher gritava para um suposto parente:

- Estou saindo! Não deixa as crianças saírem no portão de jeito nenhum! - bradava ela, refletindo o clima de insegurança que reinava no bairro.

Tráfico pode ter desencadeado conflito

A largada para as 24 horas sangrentas na Vila Vargas aconteceu às 20h30min de domingo, na Rua Maria Delfina. David da Silva Pereira, 25 anos, foi morto com quatro tiros _ na cabeça, nas costas, no coração e em uma das nádegas. Conforme a polícia, ele cumpria pena pelo assassinato de um traficante, em setembro de 2013, e há um mês havia migrado para o regime semiaberto. Sua morte pode ter sido um acerto de contas. 

- A Vila Vargas é o maior bairro de Sapucaia, onde existem grupos rivais de traficantes. Não descartamos nenhuma possibilidade, mas a guerra do tráfico é uma forte linha de investigação - aponta o inspetor da 2ª DP, José Carlos Schultz. 

A violência na região não está ligada apenas ao tráfico. Cerca de oito horas depois da morte de David, outro homem morria no bairro, desta vez, vítima de assalto. Jairo Troquato, 46 anos, foi baleado na Rua Igrejinha, ao reagir à investida de um assaltante que tentou lhe roubar a moto.

Até guri de nove anos foi vítima de disparo

Na noite de terça, mais uma tentativa de assalto acabou em tiros em Sapucaia. Desta vez, no Centro da cidade. Um trio foi baleado _ a vítima mais nova, de apenas nove anos, foi atingido em uma das pernas, assim como um rapaz de 18 anos. A terceira vítima, de 20 anos, recebeu um disparo no ombro direito. Levados pela Brigada ao hospital local, ambos permaneciam em observação até a tarde de ontem e não corriam risco de morrer.

Em depoimento à Brigada, as vítimas contaram que caminhavam pela Rua Ipiranga rumo a uma quadra de futebol quando um Corsa azul estacionou. Um rapaz branco, aparentando 22 anos, desceu com arma em punho e anunciou o assalto. A vítima de 20 anos teria colocado a mão no bolso para pegar o celular e entregá-lo, e o movimento teria assustado o assaltante, que fez vários disparos e fugiu a pé - ao ver a cena, o Corsa partiu em disparada.

- Nenhuma das vítimas tinha antecedentes criminais. Em princípio, trabalhamos com hipótese de tentativa de roubo - informou a titular da 1ª DP local, Marina Goltz.

A polícia, ontem, tentava obter imagens das câmeras de segurança de um estabelecimento nas proximidades para elucidar o crime.

Quarteto apontado por vários crimes

Investigadores da 2ª DP garantem que já identificaram o quarteto responsável pelas mortes de Jonathan Silva dos Santos e Luis Carlos Rodrigues. Um dos atiradores seria o mesmo que matou David da Silva Pereira, domingo. Outro suspeito teria tentado executar um homem dentro de um bar, na quinta-feira. Entre o bando, estaria ainda um homem envolvido em pelo menos outros seis casos.
- Dois deles já estão com mandado de prisão decretados por outros caso. O terceiro está foragido, e o quarto suspeito ainda não conseguimos enquadrar. Ainda não localizamos nenhum deles - afirma Schultz.

Lei do silêncio contribui para impunidade

Em silêncio. É como preferem se manter aqueles que sabem quem são os criminosos, mas temem por possíveis represálias. No começo da semana, e-mails, ligações e contatos através do whatsapp chegaram à Redação do Diário Gaúcho denunciando a onda de crimes em Sapucaia. Moradores que pediram para não ser identificados relataram a rotina de caos. 

- A lei do silêncio impera. As pessoas sabem quem são, mas não falam por medo. Denunciam nos meios de comunicação, pedem ajuda, mas não vêm até nós para colaborar com o que sabem. Dificulta muito o trabalho da polícia e aumenta a sensação de impunidade - aponta Schultz. 

O investigador destaca que as denúncias podem ser feitas de forma anônima pelo telefone 3453-3138.

Escalada da violência na região da Vila Vargas

Baleados

21/8 - Um homem de 32 anos sofreu uma tentativa de assassinato por volta das 23h, em um bar nas esquinas das ruas Santa Luzia e Assis Brasil. Levou quatro tiros nas costas e foi hospitalizado.

22/8 - Um homem de 23 anos sofreu uma tentativa de homicídio na Lomba Palmeira, em circunstâncias ainda investigadas pela polícia. Foi hospitalizado.

Mortes

24/8 - David da Silva Pereira foi morto com quatro tiros na Rua Maria Delfina. Era detento do semiaberto e cumpria pena pelo assassinato de um traficante, em 2013. 

25/8 - Jairo Troquato, 46 anos, foi assassinado por volta das 6h, na Rua Igrejinha, ao reagir a um assalto. 

25/8 _ Por volta das 20h, Jonathan Silva dos Santos e Luis Carlos Rodrigues Ferreira morreram apos serem alvejados por um grupo de quatro homens armados na Rua Beira Campos.
Postar um comentário