SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

AUMENTA O FURTO DE VEÍCULOS NO RS

Do G1 RS 27/10/2014 19h03

Levantamento aponta aumento de 9% em furto de veículos no RS. Dados da Secretaria de Segurança comparam 2013 com 2014.Pelotas, na Região Sul, registra maior número; média de 2 ocorrências.





O número de furtos de veículos aumentou 9% no Rio Grande do Sul no primeiro semestre do ano em relação ao mesmo período do ano passado, segundo os dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP). De janeiro a junho, foram registradas 9.240 ocorrências, contra 8.435 no ano passado.

Pelotas, na Região Sul, está entre as cinco cidades do estado com o maior número de furtos de veículos. Dados da secretaria revelam que no primeiro semestre deste ano foram registrados 335 casos. Uma média de duas ocorrências por dia.

De acordo com a polícia, o principal alvo dos bandidos são veículos antigos, por ser mais fácil o arrombamento. Mas, em cerca de 80% dos casos, eles são localizados alguns dias depois. A Polícia Civil afirma que muitos detentos estão envolvidos com os furtos.

“Nós já temos apurado que o pessoal que tá no semiaberto faz o furto do veículo. A gente ainda não sabe pra que fim, dias depois esse carro é abandonado, alguns até intactos, outros simplesmente faltando algum acessório que a gente acredita que seja pra vender pra troca de droga", apontou o delegado da 1ª Delegacia de Polícia de Pelotas, Sandro Bandeira.
Postar um comentário