SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

SERIAL KILLER DE GOIÂNIA, PRESOS SUSPEITO DE 40 MORTES

DO R7 15/10/2014 às 12h53

Serial killer de Goiânia: polícia prende suspeito de cerca de 40 mortes. Motoqueiro é investigado pela morte de 15 mulheres e dezenas de moradores de rua


Do R7


Motoqueiro é responsável pela morte de 15 mulheres entre janeiro e agosto deste ano Montagem/R7

A Polícia Civil de Goiânia prendeu na noite de terça-feira (14) um motoqueiro suspeito de ser um serial killer. Segundo fontes da polícia, o homem é investigado por cerca de 40 mortes entre mulheres e moradores de rua. O jovem teria confessado os crimes.

Entre 18 de janeiro e 2 de agosto, 15 mulheres foram mortas da mesma forma: um motoqueiro se aproxima, atira e foge sem levar nada. Os policiais ainda investigavam uma tentativa de homicídio e a morte de um homem.

No ano passado, mais de 20 moradores de rua foram assassinados. Ainda não há detalhes destes crimes.

Após as mortes de mulheres na cidade, a polícia montou uma força-tarefa composta por sete delegados, 30 agentes de polícia e dez escrivães designados para esclarecer os casos. Dois homens chegaram a ser presos por suposta participação nos crimes.


No início, os agentes diziam não acreditar que os homicídios tivessem sido cometidos por uma única pessoa. Entre os motivos que reforçavam a hipótese estava o fato de que, nos depoimentos colhidos, testemunhas citarem motocicletas de diferentes marcas e cilindradas. Além disso, as características físicas dos suspeitos também divergiam.
Postar um comentário