SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

UMA FAMÍLIA CAÇADA

 

ZH 14 de outubro de 2014 | N° 17952


SUA SEGURANÇA | HUMBERTO TREZZI




César da Fé Bugmaer, o Russo, é apenas o mais recente a ser morto numa família que fez fama no submundo porto-alegrense. Há apenas três semanas, em 25 de setembro, um irmão mais velho dele, Darci Devertino Bugmaer, 46 anos, foi morto por quatro homens que dispararam mais de 40 tiros. O crime ocorreu em um bar no bairro Jardim Itú Sabará, zona norte, onde a família fincou raízes no tráfico de drogas. Com Darci, morreu outro frequentador do boteco.

Darci foi preso em junho de 2005 com 165,7 quilos de maconha. A droga estava escondida em dois carros Classe A, vindos do Paraguai, e seria distribuída no Jardim Sabará. Já seu irmão César foi preso num campo de futebol do mesmo bairro em agosto de 2000, quando estava foragido por tráfico de drogas. Um terceiro familiar deles, Marco Aurélio Bugmaer, o Marreca, foi preso pela Polícia Civil em abril de 2001 após ser identificado como dono de um arsenal que incluía explosivos, uma pistola, 150 projéteis, um colete à prova de balas e nove quilos de drogas (maconha e cocaína), acondicionados em Viamão. Marco teve o mesmo destino dos familiares: foi emboscado e morto a tiros no bairro Jardim Sabará, em setembro de 2001.

O extermínio dos Bugmaer é daqueles capítulos da subterrânea guerra das drogas que sacode os subúrbios da Capital e que raramente vêm à tona. Eles teriam se tornado alvo da facção criminosa mais agressiva do momento, os Bala na Cara.

Acertos de conta como esses ficariam restritos ao submundo se não expusessem inocentes. Quando um dos alvos está em um bar, balas sobram para os demais frequentadores. Pior ainda quando o tiroteio acontece num hospital, como foi no Cristo Redentor no fim de semana. Aliás, de um ano para cá aconteceram execuções ou tentativas em hospitais de Porto Alegre, Viamão e São Leopoldo, além do sequestro de um recém-nascido na Santa Casa da Capital. Autoridades devem insistir para que esses locais providenciem logo câmeras. Do contrário, socorrer criminosos continuará atividade de risco.
Postar um comentário