SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

EXECUÇÃO COM A MARCA DOS BALA NA CARA



DIÁRIO GAÚCHO 25/11/2014 | 17h42


Execução de mulher na Zona Sul de Porto Alegre teve a "marca" dos Bala na Cara. Taís Santos da Silva, 25 anos, foi arrancada de casa, na Vila dos Sargentos, Bairro Serraria, por matadores encapuzados na madrugada desta terça. Ela foi morta com seis tiros no rosto.


Eduardo Torres



Os dois homens encapuzados que invadiram a casa onde Taís Santos da Silva, 25 anos, vivia com os quatro filhos pequenos, no começo da madrugada dessa terça, tinham uma ordem a cumprir. E não se sensibilizaram nem mesmo com os apelos dos pequenos.

A mãe foi arrastada para fora e levada até o mirante para o Guaíba, na Rua B da Vila dos Sargentos, Bairro Serraria, na Zona Sul de Porto Alegre. Lá, acabou executada com ainda maior frieza. Pelo menos seis tiros entre o rosto e a cabeça, disparados com espingarda calibre 12 e pistola. Para completar o "serviço", os matadores ainda empurraram o corpo em direção ao Guaíba.


Para a polícia, este foi um crime com a marca da facção dos Bala na Cara, que tem na Vila dos Sargentos um dos seus mais fortes redutos na Capital, mas até o momento há muitas dúvidas sobre a motivação da execução.

- Não há nenhuma testemunha na vila disposta a falar sobre o crime, amedrontadas. Neste momento, eu não arriscaria qualquer hipótese. Estamos apurando todas as informações - diz o delegado Adriano Pelúsio, da 4ª DHPP.

Taís era conhecida na vila por ser companheira de um traficante conhecido como Meço, atualmente preso. Desde 2011, ele é apontado pela polícia como um dos expoentes dos Bala na Cara dentro da vila.

Segundo a polícia, não há indícios de que a mulher estivesse envolvida com o tráfico de drogas. Recentemente, o relacionamento teria acabado. Por isso, a polícia não descarta até mesmo uma motivação passional para o crime.



COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Onde não há justiça, as leis não existem e os bandidos são os que dominam.
 
Postar um comentário