SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

POLICIA CIVIL FAZ OPERAÇÃO EM BAIRRO SOB TOQUE DE RECOLHER

DIÁRIO GAÚCHO 18/11/2014 | 08h32


Polícia Civil faz operação em bairro onde toque de recolher foi imposto por traficantes. Objetivo foi cumprir 13 mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão



Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS


Uma operação da Polícia Civil, que conta com 60 policiais, começou às 6h desta terça-feira e se estende até as 9h nos bairros Mario Quintana, Timbaúva e Vila Jardim, em Porto Alegre. A região ficou conhecida na semana passada, depois que traficantes impuseram toque de recolher ao comérico e a escolas.

De acordo com o diretor da divisão de homicídios, o delegado Cristiano de Castro Reschke, o objetivo da ação foi cumprir 13 mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão — todos com relação a investigação de homicídios na região.

— A idea é prender indivíduos envolvidos com assassinatos na região e trazer paz para a região — Reschke.


Segundo o delegado, a motivação para os crimes é resultado da disputa pelo tráfico de drogas. A ação é da 3ªDHPP, da zona norte da Capital.


Os capítulos mais recentes de uma guerra civil travada entre quadrilhas que brigam pelo controle de bocas de fumo nas vilas Safira e Timbaúva foram o homem encontrado esquartejado, com a cabeça e membros jogados em uma parada de ônibus para todo mundo ver no amanhecer, e toque de recolher imposto ao comércio e escolas.

Retratos da violência no bairro Mario Quintana

— Em novembro de 2012, a BM descobriu um cemitério clandestino na região com seis corpos de supostas vítimas de traficantes. O lugar já servia como descarte de carros roubados.

— Uma guerra de traficantes matou seis pessoas em apenas dois dias, em janeiro de 2013. Um traficante foi executado no Hospital Conceição.

— No mês seguinte, um criminoso, foragido da Justiça, foi morto a tiros dentro de um ônibus lotado de estudantes ao meio-dia.

— Em abril de 2014, um adolescente de 15 anos foi espancado e executado a tiros depois de golpear à faca o peito do irmão de cinco anos em uma suposta briga doméstica.

— Em junho, o corpo de um homem foi encontrado esquartejado no Parque Chico Mendes.

— Há 10 dias, dois jovens envolvidos com um grupo de traficantes desapareceram do bairro Mario Quintana. Os responsáveis seriam de uma facção rival, e o pagamento do resgate, a entrega dos pontos de venda de droga por parte dos grupo ao qual pertencem as vítimas.

— Desde outubro, a região registra 10 assassinatos. Na madrugada de segunda-feira, Alexandro Ribeiro Mangold, 27 anos, teve o corpo esquartejado em seis partes. A cabeça e um braço foram deixados diante de uma parada de ônibus na Avenida Delegado Ely Corrêa Prado, um dos pontos mais movimentados do bairro.
Postar um comentário