SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

RS MENOS ASSASSINATOS, MAIS LATROCÍNIOS

ZERO HORA  11/11/2014 | 19h55

RS é o 4º Estado com menos assassinatos por habitantes no país. Estado registrou 19,5 mortes violentas para cada 100 mil pessoas no último ano, média inferior à nacional

por Fernanda da Costa



Foto: Andréa Graiz / Agencia RBS


Em um país onde uma pessoa é assassinada a cada 10 minutos, o Rio Grande do Sul figura entre os Estados menos violentos. O índice de assassinados por habitantes no Estado é o quatro menor do país, apenas atrás de São Paulo, Santa Catarina e Piauí.

Os dados são do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta terça-feira pelo Instituto Sou da Paz. Conforme o levantamento, o Rio Grande do Sul registrou 19,5 assassinatos para cada 100 mil habitantes no último ano, média inferior à nacional. No país, são registradas 26,6 mortes violentas para cada 100 mil pessoas. O número inclui vítimas de homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte.

Os melhores índices são de São Paulo, que teve 11,7 ocorrências para cada 100 mil habitantes, Santa Catarina (12) e Piauí (17,4). Na ponta contrária do ranking, o Estado mais violento é Alagoas, com 67,5 assassinados para cada 100 mil habitantes, seguido do Ceará (50,4) e do Pará (42,4).



Número de vítimas no Estado é o 11º no país

Embora o número de assassinatos por habitante seja um dos menores do país, o saldo de vítimas coloca o Rio Grande do Sul em 11º no ranking dos mais violentos. No Estado, 2.181 famílias sofreram a perda de parentes assassinados em 2013, número superior que a média nacional, de 1.986 mortes violentas. As ocorrências no Estado representam 4% de todos os assassinatos no país.

Os líderes do ranking são Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro, com respectivamente 5.708, 5.119 e 4.928 mortes. Já os Estados com menor número de assassinatos são Roraima, Amapá e Acre, com 110, 172 e 211 registros no último ano.

Latrocínios aumentaram 21% no Rio Grande do Sul


Das mortes violentas no Estado em 2013, 2.028 foram homicídios dolosos, 92% do total. O saldo é 2% menor do que em 2012, quando 2.076 pessoas foram vítimas do crime. O número representa 18,1 ocorrências para cada 100 mil habitantes.

Na contramão da queda nos homicídios, o saldo de latrocínios registrados em solo gaúcho aumentou. Em 2013, foram 111 ocorrências, 21% a mais do que no ano anterior, quando 91 latrocínios foram registrados. O número do último ano representa um roubo com morte para cada 100 mil gaúchos.
Postar um comentário