SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

AS PESQUISAS DO PESQUISADO

O SUL Porto Alegre, Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2014.



WANDERLEY SOARES


São variados os truques para entrar na vitrine da segurança pública


Tenho máximo respeito, sem fazer favor algum, pelos especialistas graduados e pós-graduados em segurança pública, até porque, sem raridade, deles bebo conhecimento.


No entanto, como segurança é nervo exposto e vivo de todos os governos, de forma cíclica, ocorre de políticos, hábeis e profissionais, se debruçaram sobre o tema tendo como esforço maior o de promoverem reuniões, pesquisarem o que foi pesquisado, investigarem o que foi investigado, mapearem o que foi mapeado e chegarem a conclusões há muito desenhadas e trabalhadas. Como tudo antes já tinha sido feito, o resultado disso são mapas bonitos e, de certa forma, antigos, mas apresentados com belas cores e novas assinaturas. Sigam-me


Mapas sepultos


Há pouco tempo, a Câmara Municipal de Porto Alegre refez um mapeamento sobre a violência e a criminalidade na Capital gaúcha. Muito antes, um desses trabalhos foi montado pelo próprio Ministério da Justiça, durante a gestão de Tarso Genro naquela pasta, através de uma Torre de Babel erguida pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, durante uma semana, em Brasília. Os resultados foram absolutamente pífios e já estão sepultos. Os mapas existem, as câmeras existem, mas nada disso chega a impressionar os cidadãos e, muito menos, a bandidagem, sem efetivos plenamente preenchidos em todos os braços da segurança pública, bem treinados e com salários dignos.


Execuções


Duas pessoas foram mortas entre a noite de segunda-feira e a madrugada de terça-feira, em Porto Alegre. Na rua Dolores Duran, no bairro Agronomia, um homem foi executado com 14 tiros em um bar. A vítima foi identificada como Tibor Perdomo Ciciliana, 22 anos. Segundo a Brigada Militar, Tibor não tinha antecedentes criminais. Na avenida Padre Leopoldo Brentano, um homem foi baleado dentro de um carro. O crime ocorreu em frente à Arena do Grêmio. A vítima foi levada ao HPS por populares e morreu em atendimento. Segundo a Brigada, o homem não tinha antecedentes criminais, mas sua identidade não foi divulgada por falta de confirmação.


Mulheres


A Assembleia Legislativa aprovou, ontem, a aposentadoria especial para servidoras do Instituto-Geral de Perícias e da Superintendência de Serviços Penitenciários. Elas poderão, agora, requerer o benefício ao completarem 25 anos de trabalho. Anteriormente, eram necessários 30. O benefício já valia para as polícias militares e desde agosto é garantido, por meio de decreto federal, às políciais civis.


Chefia da Polícia Civil


Pode dar o delegado Cléber Ferreira na chefia de Polícia do governo José Ivo Sartori. De indiscutível liderança, competência e larga experiência em todos os setores da corporação, 64 anos de idade e uma cabeleira que não encaneceu por acaso, Cléber tem o perfil exato para o posto.


Postar um comentário