SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

FUGITIVO DE PRISÃO DOMICILIAR ASSALTA NUM CEMITÉRIO E É PRESO NUM VELÓRIO





DIÁRIO GAÚCHO 20/01/2015 | 18h51


Homem assalta um cemitério e acaba preso em outro, durante velório de familiar. José Augusto Barbosa Lara, 32 anos, é suspeito de uma tentativa de latrocínio em um cemitério de Gravataí, em dezembro do ano passado

Cristiane Bazilio




Tão inusitado quanto o cenário escolhido por dois criminosos para um assalto praticado no dia 5 de dezembro de 2014 foi o desfecho do caso, na tarde desta terça-feira. Um dos homens que haviam praticado uma tentativa de latrocínio (roubo com morte) dentro de um cemitério particular de Gravataí acabou preso pela polícia em outro cemitério, na cidade de Cachoeirinha - desta vez, onde participava de um velório.

José Augusto Barbosa Lara, 32 anos, é considerado pela polícia o mentor do ataque que deixou o proprietário do estabelecimento de Gravataí sem um dos olhos, depois de ser atingido por um tiro na cabeça, além de dois no abdômen. O comparsa dele, Maicon de Lima Pereira, 29 anos, já havia sido preso no dia 23 de dezembro. Ambos foram conduzidos ao Presídio Central.


Segundo o titular da 1ª DP de Gravataí, Eibert Moreira, que conduziu as investigações, a dupla atacou o cemitério no dia em que o dono faria o pagamento dos funcionários, em espécie. Renderam o proprietário em seu escritório, já dentro do cemitério, e levaram R$ 15 mil. Na fuga, dispararam contra o empresário e contra a secretária dele, ferida sem gravidade. Na época, o homem, de 50 anos, chegou a correr risco de vida, mas sobreviveu. No entanto, ficou com as balas alojadas na cabeça e no abdômen e perdeu um dos olhos.

– Identificamos os suspeitos e fizemos o reconhecimento por fotografias com testemunhas e vítimas. Pedimos as prisões temporárias e chegamos, primeiro, ao Maicon. Mas nosso foco era o José Augusto, que foi quem arquitetou o crime. Também partiu dele o tiro que acertou a cabeça do empresário e o fez perder um olho – explicou o delegado.

Bandido velava parente na hora da prisão

Na tarde desta terça, uma denúncia anônima informou à polícia que o criminoso estava em um cemitério de Cachoeirinha velando um parente próximo. À paisana e em viaturas discretas, os policias fizeram campana e pediram reforço de uma viatura ostensiva da Brigada Militar, já que havia mais de 100 pessoas no velório, o que poderia gerar reação e tumulto.

– Ele estava com a mulher e uma criança recém-nascida no momento em que efetuamos a prisão e não resistiu. Já fizemos os reconhecimentos pessoais e todas as vítimas o identificaram – disse o delegado.

Ainda conforme Eibert, José Augusto era foragido do sistema prisional desde maio de 2014, quando rompeu a tornozeleira eletrônica que usava no regime domiciliar. Ele cumpria pena há 14 anos e tinha antecedentes por homicídio, roubo qualificado e porte ilegal de arma, entre outros.
Postar um comentário