SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

O DISCURSO DA SEGURANÇA

O SUL Porto Alegre, Terça-feira, 27 de Janeiro de 2015.



WANDERLEY SOARES


Caso o texto seja reescrito, o quadro psicológico poderá mudar



Tenho elevada admiração, já escrevi aqui, por coleguinhas que, daqui, daqui mesmo da beira do formoso Guaíba, indicam o melhor rumo que Barack Obama deve tomar para conduzir o seu país e suas guerrinhas pela Terra. Sobre de como devem agir os demais assessores de Obama no Planeta, para estes coleguinhas, não há estratégia complexa. É tudo uma barbada. Basta colocar os desonestos na cadeia e os honestos na carceragem e na proteção do rei. É claro, descobri isso há pouco tempo, nesses processos de conduzir o mundo há muitos bemóis e sustenidos, mas deixo isso para os conselheiros de Obama, pois como um humilde marquês, sempre a ouvir aos conselheiros de minha torre, prefiro meter o meu bedelho no que está diante do meu nariz, o que, para mim, já não é nada fácil. Em assim escrito e lido isto, sigam-me


O discurso


Diante do meu e dos narizes em geral está a viger o discurso sobre segurança pública do governador José Ivo Sartori que deve conduzir a nossa Terra, que é o Rio Grande, pelo espaço mínimo de quatro anos. Em cinco décadas, nunca ouvi discurso igual e, por isso, sendo uma nova tese, até chego a crer que possa dar certo, isso se não formos atacados por abelhas africanas. No discurso de Sartori, não se fala em aumento de efetivos em nenhum dos braços da pasta da Segurança e não se fala em integralizar as cotas de horas-extras. O policiamento nas ruas, de dia, é rarefeito e, à noite, praticamente inexistente. Fala-se em inteligência antes de se saber quantas câmeras de vigilância estão ativas e quantas goteiras existem no prédio onde operam os peritos gaúchos. A ordem é agir com inteligência, mais trabalho, menos gente e sem que haja custos. Pior: este discurso foi tornado público pelo próprio governo e, naturalmente, lido, ouvido e visto por toda a bandidagem. Nesta moldura, permito-me dizer que, se nada avançar na segurança pública, pelo menos que o discurso, apenas para dar uma desanuviada no clima psicológico, seja reescrito pelo Piratini. Um novo texto sobre o mesmo tema sempre parece conter uma nova mensagem.


Comissário preso


O comissário Nilson Aneli, com prisão preventiva decretada pela Justiça, foi recolhido ontem ao xadrez do GOE (Grupo de Operações Especiais) da Polícia Civil. Nilson é acusado de ter trabalhado como segurança do traficante de drogas Alexandre Goulart Madeira, o Xandi, bandido morto com um tiro de fuzil disparado por rivais, em Tramandai, no dia quatro deste mês. A execução de Xandi aconteceu durante um churrasco onde o comissário Aneli estava presente, segundo testemunhas. Durante 4 anos, Nilson trabalhou como chefe da segurança pessoal de Airton Michels, então secretário da Segurança Pública. Michels já declarou que foi traído pelo seu homem de confiança. A preventiva do comissário foi solicitada pela Corregedoria da Polícia Civil
Postar um comentário