SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

domingo, 19 de abril de 2015

NA GUERRA DO TRÁFICO, CRIANÇA É MORTA POR BALA PERDIDA ENQUANTO DORMIA





ZERO HORA 18 de abril de 2015 | N° 18136


EDUARDO TORRES


GUERRA DO TRÁFICO. DISPARO DE FUZIL atravessou janela de casa e acertou a cabeça de uma menina de sete anos. Conflito entre traficantes, com mais de cem tiros, ainda feriu um dos quatro irmãos dela, de 11 anos.



Pai, mãe e cinco filhos. Todos dormiam por volta da 1h de ontem na casa no Acesso A do loteamento Campos do Cristal, bairro Vila Nova, na zona sul da Capital, quando começaram as rajadas no meio da rua. Um tiro de fuzil 5.56, entre as mais de cem balas disparadas, perfurou a janela de alumínio do sobrado popular da família Machado.

Lá dentro, o menino de 11 anos, que dormia na cama de cima de um beliche, foi atingido de raspão no pescoço. O projétil prosseguiu, desviou em um armário e acertou a cabeça de Laura Machado Machado, sete anos, que dormia na cama de cima de outro beliche.

Foram pelo menos cinco minutos de confronto entre traficantes, com o uso de armamentos de calibre pesado – 9mm (provavelmente submetralhadora) e fuzil 5.56. Minutos depois, a Brigada Militar foi ao local e, antes da chegada do Samu, os próprios brigadianos socorreram as crianças. Uma viatura levou Laura para o Hospital Vila Nova, mas ela já chegou sem vida.

O irmão dela foi liberado do Hospital de Pronto Socorro ainda na madrugada de ontem.

– Parecia coisa de Rio de Janeiro. Ficamos no meio de uma guerra. Só deu tempo de me jogar no chão com as minhas filhas e esperar passar. Mas não passava – desabafou uma moradora de 35 anos.

CARROS DEIXADOS PERTO DO LOCAL SERÃO PERICIADOS

Segundo testemunhas, criminosos teriam chegado em dois carros, vindos do Beco do Império, que fica nos fundos do loteamento. A polícia tenta descobrir quantos atiradores estavam entre os invasores, que se defrontaram, supostamente, com traficantes locais.

– Houve confronto com tiroteio aberto mesmo. Não registramos outros feridos, infelizmente a bala perdida atingiu as crianças – resume o delegado Adriano Melgaço, da 4ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (4ª DHPP).

Pouco depois do crime, a BM encontrou um Etios preto e um Siena branco abandonados na Rua coronel Francisco Carlos Gomes, a menos de um quilômetro do local. Os veículos, que não eram roubados, serão periciados.

REGIÃO É ZONA DE CONFLITO DE PELO MENOS TRÊS GRUPOS

Conforme o delegado, ainda é cedo para concluir qual quadrilha foi responsável pelo ataque.

– Temos algumas informações que podem vincular a um bando com ramificações em outros bairros, mas nada concreto. É possível que tenha relação com mortes anteriores ocorridas na região da Vila Nova – explica Melgaço.

Há pelo menos dois anos, três grupos das vilas vizinhas, ao redor da Estrada Cristiano Kraemer, se enfrentam pelo controle de pontos de tráfico próximos da via, que dá acesso ao extremo sul da cidade.




Tiroteios começaram no domingo

Na manhã de ontem, ninguém apareceu para as aulas na Escola Municipal Campos do Cristal. O crime da madrugada deixou a comunidade em pânico.

– Na última sexta-feira, passaram avisando na vila para todo mundo ficar em casa de noite, que teria tiroteio. Desde aquele dia, estamos todos com medo – conta uma moradora.

Confrontos entre traficantes se iniciaram por volta das 18h de domingo e tiveram sequência no dia seguinte. Desde então, a creche comunitária ficou fechada e a rotina na escola foi alterada.

Segundo a Brigada Militar, não há toque de recolher, mas se trata de reação natural dos moradores, que começaram a evitar a saída dos filhos à rua mais cedo.



Família havia se mudado há pouco

A família de Laura mora no Campos do Cristal há três meses. Filha de um pintor industrial e de uma dona de casa, além do menino de 11 anos, também atingido pela bala perdida, tinha outros três irmãos – duas meninas, de 10 e cinco anos, e um menino de três. Vinham do Parque dos Maias, na Zona Norte.

A direção da Escola Municipal Campos do Cristal diz que Laura era aluna exemplar no segundo ano do Ensino Fundamental.

– Era cheia de vida, estava sempre alegre e brincando com os irmãos. Nunca foram de ficar soltos pela rua. Foi uma fatalidade – lamentou uma tia.

Em choque, a mãe da menina não se manifestou. Familiares afirmam que eles e todos os parentes próximos agora pretendem ir embora do loteamento.
Postar um comentário