SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

SEIS COLETIVOS ALVOS DE INCÊNDIO NA CAPITAL



ZERO HORA 02 de dezembro de 2015 | N° 18373

MARCELO KERVALT


EM SUPOSTA REPRESÁLIA a ação policial ontem, criminosos atacaram cinco ônibus e um lotação em diferentes pontos da Zona Sul


Pelo menos seis coletivos – cinco ônibus e um lotação – sofreram ataques e foram incendiados na noite de ontem em Porto Alegre. Conforme a Brigada Militar (BM), as ações criminosas ocorreram nas avenidas Oscar Pereira e Eduardo Prado, na Rua Ventos do Sul e no bairro Restinga, no Extremo Sul da Capital. O comandante do 1º Batalhão de Polícia Miltar, Kléber Rodrigues Goulart, disse acreditar que há ligação entre casos.

Na Oscar Pereira aconteceu a primeira ação, próximo ao Hospital Divina Providência: um lotação e um ônibus foram interceptados por um grupo de pelo menos cinco pessoas. De acordo com a BM, os criminosos, com armas em punho, bloquearam a via com pedaços de madeira e obrigaram o motorista do lotação a parar. Eles chegaram a apedrejar o coletivo, ferindo o motorista, que precisou de atendimento no Hospital de Pronto-Socorro (HPS).

TRANSPORTE FOI SUSPENSO NA REGIÃO

O motorista do ônibus que fazia a linha 289 Rincão-Oscar Pereira percebeu o ataque ao lotação e parou o veículo a cerca de 200 metros.

– Eles estavam em cima do lotação em chamas. Quando me viram, correram em minha direção mandando todo mundo descer. Não tinha como voltar – conta Alexandre da Costa Torres, de 47 anos.

Segundo ele, o grupo deu tiros para cima e contra o para-brisa do ônibus, mas ninguém se feriu. Após atearem fogo aos dois coletivos, os bandidos fugiram.

Essa ação seria em represália a uma abordagem da BM realizada ontem, quando um homem identificado como Luciano Gustavo da Rosa foi baleado e morreu no hospital Divina Providência.

No ataque da Rua Ventos do Sul, dois carros teriam parado no final da linha e três pessoas armadas desceram de cada um deles e atearam fogo a dois veículos. Na Eduardo Prado, dois motociclistas armados teriam atacado o ônibus.

Coletivos das empresas atingidas tiveram as operações canceladas na Zona Sul à noite. Na madrugada, seria definida a retomada ou não da circulação das linhas de ônibus.

Neste ano, criminosos protagonizaram pelo menos outros quatro dias de ataques a coletivos na Capital.

OUTROS CASOS

1 - Em 19 de abril, um ônibus foi incendiado no Beco dos Cafunchos, no bairro Lomba do Pinheiro, no limite entre Porto Alegre e Viamão. A motivação foi a briga entre as gangues dos traficantes Tereu e Xandi.

2 - Em 3 de setembro, foram dois casos: após a Brigada Militar (BM) balear um jovem no Morro Santa Tereza, a população do local incendiou dois ônibus e um lotação.

3 - Também em setembro, no dia 25, uma disputa entre gangues terminou no incêndio a um ônibus ao lado do posto de Saúde da Vila Cruzeiro.

4 - Em outubro, criminosos atearam fogo a um ônibus no bairro Vila Jardim, após uma ação da BM na zona norte matar um suspeito de tráfico.

Postar um comentário