SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sábado, 27 de agosto de 2016

EDITORIA DE SEGURANÇA NO GRUPO RBS




A MÍDIA ACORDA PARA O DIREITO À SEGURANÇA SER EXERCIDO E ASSEGURADO PELA FORÇA DA LEI E DA JUSTIÇA E QUE AS FORÇAS POLICIAIS PRECISAM ESTAR CAPACITADAS E SEREM VALORIZADAS. Parabenizamos a Zero Hora pela criação da Editoria de Segurança e que esta contextualize nos debates e artigos que a segurança pública é um direito de TODOS e dever do Estado uno e indivisível, constituído dos poderes legislativo, executivo e judiciário; que o Estado Democrático de Direito exige a força da lei e da justiça; e que as forças policiais exercem a função essencial à justiça e a manutenção da ordem pública.



ZERO HORA 27 de agosto de 2016 | N° 18619


CARTA DA EDITORA | Marta Gleich



Grupo RBS cria Editoria de Segurança


Na manhã de sexta-feira, enquanto Cristine Fonseca Fagundes, morta em um latrocínio em frente à filha ao buscar o filho no colégio, era velada no Cemitério Jardim da Paz, o Estado inteiro, estupefato, se perguntava o que mais precisaria acontecer para que se iniciasse, finalmente, uma virada no descalabro da segurança. Ao mesmo tempo, transcorria uma reunião na Redação de ZH. Alguns dos principais editores e jornalistas da RBS TV, da Rádio Gaúcha, do Diário Gaúcho e de Zero Hora criavam a Editoria de Segurança: uma força-tarefa que se forma, sem prazo definido, para estar ao lado de leitores, ouvintes e telespectadores no debate de saídas para o descontrole da criminalidade no Estado e para cobrar do poder público ações imediatas no combate à violência. Esse tema passa a ser prioridade nas pautas dos veículos do Grupo RBS.

Comandada pelo jornalista Carlos Etchichury, ex-editor de Polícia de ZH e atual editor-chefe do Diário Gaúcho, a Editoria de Segurança contará com jornalistas como Humberto Trezzi e José Luís Costa, de ZH, Cid Martins, da Rádio Gaúcha, Fábio Almeida e Jonas Campos, da RBS TV, e Renato Dornelles, do Diário Gaúcho.

Outra decisão do encontro foi promover, na própria sexta-feira, um Painel Especial para o debate em profundidade de saídas imediatas para a crise. O resultado você confere na página 11.

Também criamos linhas diretas do nosso público com as redações, pelo WhatsApp (51) 9728-3837 e e-mail segurancaja@gruporbs.com.br. Por esses dois canais, você pode sugerir medidas para a solução do problema e se manifestar sobre o tema segurança.

E decidimos lançar o editorial-manifesto que está hoje nas capas de ZH e Diário Gaúcho.

O Rio Grande do Sul não pode mais ser definido como a sociedade em que os bandidos tomaram conta. Não somos isso. Mas a solução da criminalidade não passa apenas pelo Executivo, pelo Judiciário ou pelo Legislativo. Também não passa só pelo Ministério Público, pela Brigada Militar ou pela Polícia Civil. Nem apenas por outras entidades, associações, empresários, ONGs ou imprensa. É um problema de complexa solução, que depende de todos nós. Estamos fazendo a nossa parte. Acompanhe a intensa cobertura do Grupo RBS nos próximos dias. E mande sua contribuição. Confira, abaixo, manifestações de nossos leitores sobre o tema que, mais do que nos paralisar ou nos dividir, deve nos unir e mobilizar.
Postar um comentário