SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

TIROS, REFÉNS E FUGA...

ZERO HORA 02 de novembro de 2016 | N° 18676



ASSALTANTES COM FUZIS atingiram agente de raspão, não foram presos e sumiram sem levar dinheiro de banco na região metropolitana da Capital


Agentes da Delegacia de Roubos, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil, trocaram cerca de cem tiros com a quadrilha que tentava atacar agência do Banco do Brasil em Arroio dos Ratos, na Região Metropolitana, na madrugada de ontem. Os criminosos levaram um morador como refém em seu próprio carro. Durante o tiroteio, policial foi ferido por tiro de raspão – ele não corre risco de morte.

Conforme o diretor do Deic, delegado Rodrigo Bozzetto, após o departamento cruzar informações que indicavam a intenção do grupo de arrombar a agência na região, policiais da Delegacia de Roubos realizaram campana no local para tentar prender os assaltantes em flagrante. Por volta das 3h, quatro homens em um Onix branco estacionaram perto do banco. A polícia, com 15 homens em quatro viaturas, abordou os indivíduos, que reagiram abrindo fogo contra a guarnição. Segundo o Deic, todos os integrantes do grupo carregavam fuzis e foram encontrados estojos de calibre .556 no local.

– A quadrilha estava bem equipada e trocou muitos tiros. Mais de 80, cem disparos. Graças a Deus e à técnica dos policiais, não houve vítimas – disse Bozzetto, que classificou a operação como exitosa, porque impediu a ação dos bandidos na agência e não houve mortes.

PORTA REFORÇADA SALVOU MORADOR DE BANDIDO

Na fuga, integrantes do bando tentaram arrombar a casa do vendedor Luiz Fernando Pacheco, 54 anos, alegando que eram policiais, mas graças a porta reforçada do morador, desistiram.

– Pelo jeito de falar, pelo estilo, sabia que não era polícia. Fiquei quieto, esperando. Se atirasse na minha janela e entrasse, teria que agarrá-lo à unha – disse.

Após a primeira tentativa frustrada, os assaltantes invadiram a casa do motorista Persio Teixeira da Silva, 50 anos, vizinho de Pacheco. Silva teve o carro, um Tempra, roubado e foi levado como refém. Na escapada, assaltantes procuravam o resto do grupo, que teria atirado contra o Tempra ao não reconhecer os comparsas num primeiro momento. A vítima foi liberada cerca de 15 minutos depois, e o carro, recuperado.

Conforme o delegado Joel Wagner, a quadrilha teria sede no Vale do Sinos e contaria com integrantes da Região Metropolitana.
Postar um comentário